12 de outubro de 2016

O fim de um(a) ciclo no RDA

“Maybe there is a beast… maybe it's only us.”
― William Golding, Lord of the Flies

Na sequência do recente congresso do RDA, foram tomadas decisões que afectam directamente o funcionamento dos colectivos. Em particular, decidiu-se que todos os colectivos seriam extintos.

A Cicloficina dos Anjos (CdA) surgiu em 2011, após uma proposta de membros exteriores ao RDA. Desde então, temos usufruído, sem encargos, de um espaço que dinamizámos semanalmente, disponibilizando ferramentas, peças, quadros e apoio gratuito à reparação e montagem de bicicletas. Nestas quartas-feiras passaram centenas de visitantes e dezenas de voluntários que se envolveram com o espaço de RDA a vários níveis, e onde se criaram relações sociais que de outro modo não surgiriam.

Durante todo este tempo, o RDA e a Cicloficina evoluíram. A CdA viu-se confrontada com desafios, oportunidades, ameaças, convites e carências. O modo como abordámos e resolvemos todas estas questões deriva do pressuposto de uma actividade em comum e da autonomia associada; em conjunto, ambas se foram constituindo num património de saber/fazer. Como tal, a nossa experiência colectiva, e também a nossa identidade, construíram-se deste modo, numa base de confiança e do facto de existir um horizonte prático para as nossas discussões. O resultado do congresso do RDA parece ignorar as particularidades desse crescimento comum e insta qualquer grupo de trabalho que queira desenvolver uma actividade a uma autonomia bastante reduzida nas suas decisões e a um compromisso centralizador esvaziado de uma prática baseada nesse saber/fazer. Sem confiança, sem aparente memória ou sem autonomia, consideramos não haver condições para continuar neste espaço e no respectivo projecto.

Existirão sessões da Cicloficina dos Anjos no espaço do RDA até 26 de Outubro, pois foi esse o prazo que foi imposto no início deste mês para acabar com as actividades. Estas sessões funcionarão a meio-gás, em regime de auto-serviço. Contamos abrir em breve noutra morada em que as nossas actividades possam ser desenvolvidas de acordo com os nossos princípios de actuação e autonomia sem modos de funcionamento e convívio hetero-impostos. Agradecemos a quem saiba de espaços disponíveis e compatíveis com a actividade da Cicloficina que nos faça chegar as sugestões.

A CdA lamenta o resultado deste processo, que não surgiu por nossa iniciativa. Nunca foi pedida à CdA, enquanto colectivo, qualquer esclarecimento sobre as questões que levaram ao processo e ao seu desfecho, tampouco nenhuma posição sobre esta decisão. Este desencantador final da relação da CdA com o RDA não apaga, porém, os bons anos que lá passámos. Congratulamo-nos também por ter contribuído para a conclusão da instalação dos estacionamentos para bicicletas à porta do RDA antes da nossa saída do espaço e estamos seguros de que estes serão cada vez mais úteis.

1 comentário:

Unknown disse...

Mas vai acabar? Ou mudar de sitio?

Obrigado.