8 de novembro de 2016

Cicloficina temporariamente na Faculdade de Ciências

Enquanto a Cicloficina dos Anjos não encontra nova casa, alguns de nós vão estar a fazer sessões de Cicloficina na Faculdade de Ciências de Lisboa, em colaboração com a CiclOficina da FCUL.
Estas sessões serão TODAS as 4as-feiras das 17h às 20h no rés-do-chão do edifício C3 da Faculdade de Ciências (vê na foto a localização).
Aparece!

3 de novembro de 2016

Alteração de local

A Cicloficina dos Anjos deixou de funcionar às quartas no RDA, no Regueirão dos Anjos 69.

Anunciaremos novo local em breve!

12 de outubro de 2016

O fim de um(a) ciclo no RDA

“Maybe there is a beast… maybe it's only us.”
― William Golding, Lord of the Flies

Na sequência do recente congresso do RDA, foram tomadas decisões que afectam directamente o funcionamento dos colectivos. Em particular, decidiu-se que todos os colectivos seriam extintos.

A Cicloficina dos Anjos (CdA) surgiu em 2011, após uma proposta de membros exteriores ao RDA. Desde então, temos usufruído, sem encargos, de um espaço que dinamizámos semanalmente, disponibilizando ferramentas, peças, quadros e apoio gratuito à reparação e montagem de bicicletas. Nestas quartas-feiras passaram centenas de visitantes e dezenas de voluntários que se envolveram com o espaço de RDA a vários níveis, e onde se criaram relações sociais que de outro modo não surgiriam.

Durante todo este tempo, o RDA e a Cicloficina evoluíram. A CdA viu-se confrontada com desafios, oportunidades, ameaças, convites e carências. O modo como abordámos e resolvemos todas estas questões deriva do pressuposto de uma actividade em comum e da autonomia associada; em conjunto, ambas se foram constituindo num património de saber/fazer. Como tal, a nossa experiência colectiva, e também a nossa identidade, construíram-se deste modo, numa base de confiança e do facto de existir um horizonte prático para as nossas discussões. O resultado do congresso do RDA parece ignorar as particularidades desse crescimento comum e insta qualquer grupo de trabalho que queira desenvolver uma actividade a uma autonomia bastante reduzida nas suas decisões e a um compromisso centralizador esvaziado de uma prática baseada nesse saber/fazer. Sem confiança, sem aparente memória ou sem autonomia, consideramos não haver condições para continuar neste espaço e no respectivo projecto.

Existirão sessões da Cicloficina dos Anjos no espaço do RDA até 26 de Outubro, pois foi esse o prazo que foi imposto no início deste mês para acabar com as actividades. Estas sessões funcionarão a meio-gás, em regime de auto-serviço. Contamos abrir em breve noutra morada em que as nossas actividades possam ser desenvolvidas de acordo com os nossos princípios de actuação e autonomia sem modos de funcionamento e convívio hetero-impostos. Agradecemos a quem saiba de espaços disponíveis e compatíveis com a actividade da Cicloficina que nos faça chegar as sugestões.

A CdA lamenta o resultado deste processo, que não surgiu por nossa iniciativa. Nunca foi pedida à CdA, enquanto colectivo, qualquer esclarecimento sobre as questões que levaram ao processo e ao seu desfecho, tampouco nenhuma posição sobre esta decisão. Este desencantador final da relação da CdA com o RDA não apaga, porém, os bons anos que lá passámos. Congratulamo-nos também por ter contribuído para a conclusão da instalação dos estacionamentos para bicicletas à porta do RDA antes da nossa saída do espaço e estamos seguros de que estes serão cada vez mais úteis.

16 de agosto de 2016

A oficina do Sr. Manuel Ladeira em São Luís, Odemira

Em São Luís, Odemira, há uma oficina de bicicletas e Famel que parou no tempo.

O Sr. Manuel Ladeira, falando por papeis, diz que a tem desde 1964. Sorridente e orgulhoso, conta que tem a oficina-loja, mais o armazém do outro lado da rua, mais uma loja com duas montras atrás, e que ainda tem um armazém onde usa o ferro velho para fazer as suas máquinas inventadas por ele - algo que com muita pena não cheguei a ver... fica para uma outra visita.


Parece que parou no tempo, mas a sua oficina tem todos os sinais de uso recente. Repara bicicletas antigas e modernas, e motos também. Os calendários sempre actualizados, que se podem encontrar em qualquer canto, não enganam.


Parece uma garagem desorganizada, mas as legendas de todas as caixinhas e caixotes mostram que é bastante metódico. Um paraíso de oficina...




Visita durante o evento Montras de São LuísMONTRAS 2016 é uma co-organização do movimento de Transição São Luís e do CAIS (Colectivo Artístico Intervenção Social) – Ass. Cultural, em colaboração com a Junta de Freguesia de São Luís e o Município de Odemira, Casa do Povo de São Luís, Sociedade Recreativa e Musical Sanluizense, Cultivamos Cultura e Três em Pipa, com o apoio do comércio local e da população de São Luís.

Rosa Félix

17 de junho de 2016

PEDALANÇAS Lisboa > Andanças

Pedalanças
Pedalar até ao Andanças 2016
Este ano a Cicloficina dos Anjos junta-se ao Andanças e organiza uma viagem de bicicleta até ao festival. Serão 3 dias para completar cerca de 180 quilómetros divididos em suaves etapas que permitirão desfrutar sem pressas nem grande esforço das paisagens que atravessaremos.
Uma viagem ambientalmente sustentável e tão próxima da natureza quanto possível.


É uma viagem na própria viagem!
Dormidas gratuitas  ::  Paragens para banhos  ::   A um ritmo tranquilo e acessível


Inscrições gratuitas mas limitadas e obrigatórias. Enviar um email para pedalancas@cicloficina.pt, com nome, idade, tipo de bicicleta, experiência anterior em viagens de bicicleta e condição física actual (frequência de uso e distância média percorrida de bicicleta, se aplicável, ou outras actividades físicas).

Percurso

Etapa 1 - dia 28 de Julho - Lisboa > Chamusca

Encontro às 8h30  na estação de comboios de Santa Apolónia
Lisboa > Vila Franca de Xira será feito em comboio, de modo a evitar o tráfego pesado da N1. Os participantes deverão garantir o bilhete para este percurso (€3,10).


Vila Franca de Xira > Chamusca (76 km)
Trajecto muito plano, junto ao Tejo, com a lezíria como paisagem.
Dormida na Chamusca, em local a definir.


Etapa 2 - dia 29 de Julho - Chamusca > Alvega
Chamusca > Alvega (50 km)
Segundo dia mais relaxado, mas com uma ligeira subida.
Dormida em Alvega, em local a definir.

Etapa 3 - dia 30 de Julho - Alvega > Póvoa e Meadas

Alvega > Andanças (50 km)
Começo do dia com uma subida de 10 km, mas muito plano nos quilómetros seguintes.
Chegada ao Andanças! Jantar incluído nesse dia.

! É possível fazer só parte do percurso (ver perguntas frequentes) !



Perguntas (desejavelmente) Frequentes:

Tenho que ter bicicleta própria?

Sim. Recomendamos que seja a bicicleta que conduz habitualmente, porque saberá avaliar melhor se se sente confortável nela e se está mecanicamente apta. É importante certificar-se que a bicicleta está funcional antes da viagem.

Não costumo andar de bicicleta, posso ir na mesma?
Faz mal, devia andar mais. Apesar do esforço diário ser moderado, convém que tenha alguma prática e treino prévios. Não precisa de andar todos os dias, mas convém que ande no mínimo uma vez por semana há pelo menos 3 meses para estar fisicamente apto/a a fazer esta viagem. Ainda vai a tempo de treinar ;)

Vou chegar todo/a partido/a ao Andanças ao ponto de não conseguir dançar?
Esperemos que não. Pode aproveitar as aulas de yoga e outras que ajudem a recuperar. Normalmente, o corpo demora 2 a 3 dias a ficar totalmente restabelecido. Quando isso acontecer, vai dançar que nunca mais acaba! Até lá, estará a treinar para que isso aconteça, encare-o positivamente.

Não vou morrer de calor?
Que exagero.

Não vou ter muito calor e possíveis insolações?
Vamos pedalar a horas de menor calor e exposição solar. Convém usar protetor solar e chapéu (ou capacete) que não voe sempre que começar a pedalar. Conhece os bonés de ciclista? São ótimos!

E a carga? Como levo as minhas coisas?
Bem-vindo/a à pergunta para 1 milhão. A primeira sugestão que lhe fazemos é: evite levar mochila às costas! Se a sua bicicleta tem uma bagageira (aquela grelha metálica por cima da roda traseira, ou dianteira) é lá que deverá colocar toda a sua bagagem, evitando assim ter peso sobre os seus ombros e costas durante várias horas.
A segunda sugestão é: reduza o peso e o volume da sua bagagem tanto quanto possível.
A organização também poderá ajudar a distribuir o peso noutras bicicletas ou num atrelado, mas lembre-se que quanto mais coisas levar, mais difícil fica para todos/as.
Leve também 1 ou 2 suportes para bidons ou garrafas, caso a sua bicicleta esteja preparada para isso.
Adapte a bagagem às características da bicicleta e ao seu orçamento. Se tiver amigos que vão para o Andanças por outros meios, livre-se de peso desnecessário como a tenda, por exemplo. Leve apenas o essencial e se decidir que não precisa de bagageira nem alforges, tente pelo menos levar uma mochila arejada, confortável e leve.

Dá para levar a minha tenda 2’’, 3’’ ou 5’’ na bicicleta?
Refere-se àqueles discos de Nylon que se parecem com frisbees gigantes? Dificilmente. Mas peça a um amigo que vá para o festival que a leve para si, bem como o resto das suas coisas não necessárias durante a viagem. Para estes dias não será preciso tenda, pois está previsto alojamento gratuito nos dois locais intermédios.

Devo levar comida?
Poderá levar algo para merendar, como bolachas, fruta, frutos secos, mas nada que derreta ou que seja muito salgado. Lembre-se que o essencial é estar sempre hidratado.

Quanta água devo levar?
Leve garrafas ou bidons que permitam ter sempre consigo cerca de 1L de água. Iremos parar várias vezes no caminho para abastecer.

Tenho de levar ferramentas?
Caso disponha de ferramentas que costume usar em viagens de bicicleta, aconselhamos a trazê-las. Caso não tenha quaisquer ferramentas nem perceba nada de mecânica de bicicletas (do tipo, “para que serve isto?”), a organização terá ao dispor ferramentas e mecânicos que assegurarão a resolução de problemas simples, caso surjam (ex. furos, empenos, cabos partidos, afinações, etc).

Devo levar luzes?
Prevemos que todo o percurso seja feito durante o dia. Mas no festival caso lhe apeteça usar a bicicleta durante a noite, o ideal é ter sempre um par de luzes consigo.

Devo levar capacete?
O Código da Estrada não obriga e nós também não. Deve usá-lo se isso o/a fizer sentir mais seguro/a.

Que roupa devo levar?
O calçado deve ter sola rija, para evitar dores nos pés e pernas. Espera-se que esteja calor, por isso deve levar roupa leve e fresca, um agasalho para a noite, um impermeável ou corta vento, chapéu ou protecção para o sol. A roupa interior deve ser confortável também - por exemplo, evite pedalar com fato de banho vestido.

E o que devo levar mais?
O essencial é sentir-se confortável durante todo o percurso; uma muda de roupa leve, óculos de sol e algum protector solar melhora a experiência da viagem. Talvez não seja má ideia levar repelente de mosquitos...

Como posso saber se a minha bicicleta está em condições de fazer esta viagem?
É recomendável fazer uma revisão geral à bicicleta, que pode ser feita numa loja por um mecânico profissional. Em alternativa, aparece na Cicloficina dos Anjos numa quarta-feira, ou em qualquer uma das várias Cicloficinas (www.cicloficina.pt), e poderás fazer a revisão à tua própria bicicleta com ajuda dos voluntários presentes. Nota: não deixes para a última hora a preparação da viagem e da bicicleta, há sempre imprevistos e atrasos que não controlamos.

Não consigo fazer todas as etapas. É possível fazer só parte da viagem?
Sim. Os locais onde iremos pernoitar são muito perto de estações de comboio. É possível apanhar um comboio com a bicicleta e pernoitar connosco para no dia seguinte partirmos todos juntos para a etapa.
Dia 28 > Chamusca: Apanhar o Regional até Golegã e pedalar cerca de 8km.
Dia 29 > Alvega: Apanhar o Interregional até Entroncamento e o Regional até Ortiga-Alvega e atravessar a ponte.

Como é a viagem de regresso a Lisboa?
A Cicloficina irá acompanhá-lo/a na viagem de ida até ao Festival, mas o regresso ficará ao seu cuidado. Agora que já sabe que não custa assim tanto, sugerimos uma viagem de bicicleta relaxada pelo mesmo percurso ou por percursos alternativos (exemplo: http://www.mapmyride.com/routes/view/1106560226 ). Poderá também pedalar até Vila Velha de Ródão e apanhar o comboio de regresso a Lisboa.


Fiquei tão entusiasmado/a com a viagem que agora quero saber mais sobre mecânica da bicicleta ou dicas para pedalar em segurança na cidade.

A Cicloficina terá uma banca no recinto do Andanças onde haverá oficinas de mecânica simples de bicicleta, ferramentas, bomba de ar à disposição e materiais de divulgação do projecto Cicloficina dos Anjos. Será um ponto de encontro de entusiastas da bicicleta. Aparece por lá com uma caneca cheia e conversaremos :)



10 de março de 2016

FESTA 5º aniversário da Cicloficina dos Anjos

Sábado - 12 de Março

Vamos fazer 5 anos de existência no Regueirão dos Anjos!

É já um longo caminho percorrido para um projecto comunitário e voluntário e que funciona semanalmente numa lógica de partilha e convívio em torno da bicicleta.

Queremos celebrar a bicicleta e este aniversário contigo. Estaremos em festa no Regueirão dos Anjos 69 na Sábado, 12 de Março, com jogos e gincanas, jantar, karaoke e ainda uma surpresa!

O programa das festas é:
18h - Ganha uma bicicleta! corridas / quizz / gincanas
20h - Jantar benefit para a Cicloficina de Alfama
22h - Karalhoke*
0h - Surpresa!
... e música estrada fora...

Go!