2 de dezembro de 2011

Grande FESTA!

A quiçá última véspera do feriado de 1 de Dezembro amanheceu envolta em nevoeiro, na promessa de um fim de tarde frio, mas sem aguaceiros. E assim foi.

A comitiva da organização chegou ao Regueirão dos Anjos pelas 18h da tarde; à nossa espera já existia uma bicicleta oriunda de Macau (uma bicicleta chinesa, é verdade, mas de qualidade) para ser reparada. Só o João Marques conseguiu arranjar num curto de espaço de tempo três bicicletas!



Entretanto, o Miguel, a Teresa e a Salomé iam tratando do jantar para os corredores e restantes comensais.


Na verdade, o programa original previa que o tempo das inscrições para a corrida Alicate durasse cerca de meia-hora, entre as 19h30 e as 20h, comm início da mesma para pouco depois. Contudo, dada a famosa pontualidade portuguesa, ainda eram 20h10 e iam chegando alguns candidatos; alguns até reservaram a participação por mensagem...assim, a corrida propriamente dita só teve início pelas 20h30.



A cada candidato foi distribuída uma carta simples de baralho que o identificaria; ao invés de outras corridas alicates, todos os pontos da corrida foram logo dados à partida, cabendo a cada participante escolher o percurso mais adequado dado o seu conhecimento das ruas e declives de Lisboa.

Talvez por isso os tempos dos concorrentes apresentem tanto desvio relativamente ao primeiro classificado.

Em cada posto de controlo havia uma pequena tarefa a fazer; trazer um calço de travão e um eixo de roda até à Cicloficina dos Anjos, picar a respectiva carta de baralho com um alicate e responder a duas perguntas relacionadas com os acontecimentos que justificaram que o 1º de Dezembro de 1640 fosse elevado a feriado.

As perguntas eram:

Qual o monarca que reinava Portugal aquando da revolução do 1º de Dezembro?

e

Em que ano começou o domínio filipino em Portugal.

A maioria dos concorrentes chumbou...levando uma penalização de 30s, que nalguns casos alterou a classificação.

O primeiro classificado, coincidência ou não, foi o João Pinheiro, que tirou nada mais nada menos que o Ás de Espadas...fez o incrível tempo de 30m!




A festa prosseguiu. Esteve concorrida e animada. Deu trabalho mas valeu a pena ver tanta gente reunida em volta da bicicleta (e da roda da sorte da bebida).




Por nós voltaremos a repetir este evento, mas agora passamos a iniciativa aos próximos!

Mais fotos aqui.

Até já!

1 comentário:

Cicloficina dos Anjos disse...

Mais fotos, do Pedro Portela, em f/2.0 fotografia